De Android para QNX. Mas onde está a blacklist?

O meu Galaxy S estava com alguns probleminhas. Um normal que era a bateria dando sinais de velhice (sem uso durava aproximadamente dois dias) mas poderia ser resolvido comprando uma nova. Os outros eram mais irritantes. O GPS demorava uns 10 ou 20 minutos para “se achar” e aplicativos como o waze perdiam o sinal de vez em quando onde não era normal (apesar de que volta bem mais rápido). O outro era irritante. Quando conectava na internet, o smartphone congelava por um tempo e, depois, ficava lento e com resposta limitada. Quando havia diversas atualizações era praticamente impossível mandar “atualizar todas”. Tentei utilizar versões mais antigas e novas do CyanogemMod bem como outras ROMs mas o problema continuava.

Poderia continuar tentando outras alternativas ou comprar um smartphone novo. Um com Android não era a principal escolha pelos seguintes motivos:

  1. Acho ruim o modo como a maioria das empresas que utilizam Android trabalham que é atualizar uma ou duas vezes o sistema e depois deixam o usuário na mão.
  2. Como alternativas ao item anterior, é possível ao usuário mais experientes instalar ROMs alternativas. Como depende dos usuários, algumas param o desenvolvimento com o tempo. Utilizava a CyanogemMod que era legalzinha mas, a cada nova versão do Android, diversas partes eram quebradas sendo necessário esperar até que fosse corrigida (o armazenamento de fotos/vídeos no cartão de memória era uma delas), Talvez seja o motivo que as empresas não suportam novas versões em aparelhos antigo.

Um smartphone com Windows seria a última opção (não uso Windows desde 2000). Um iPhone também não estava entre as primeiras opções, apesar de achar, relativamente, interessante. A BlackBerry seria uma opção interessante pela fama de segurança dos seus aparelhos e, com a adoção do QNX em 2013 pode ter ficado ainda melhor. O QNX é um sistema operacional tipo Unix de tempo real e destinada a sistemas onde é necessário segurança e estabilidade. O Modelo Z10 (do início de 2013) foi um dos primeiros a sair com o QNX e praticamente sem botões (existe os botões de volume, liga/desliga e um botão para habilitar os comandos de voz). No exterior é possível encontrar o modelo por menos de US$ 200 (quem ainda tem) mas no Brasil, os poucos que sobraram, estava acima dos R$ 1.000,00 e fora da faixa que estava disposto a pagar por um aparelho. A compra no exterior é mais complicada pois existem diversos modelos com diversas faixas LTE/HSDPA, diferente dos modelos mais novos como o Z30 e Z3. Felizmente achei um com preço bem mais acessível e com os selos da Anatel. Comprei.

Ele veio com a primeira versão do sistema operacional (BlackBerry OS 10). O único probleminha que encontrei foi para fechar a câmera. No mais, um modo diferente e rápido de se mover no ambiente e a adaptação foi bastante rápida (ponto para mim que já havia visto os demos e tinha uma ideia de como funcionava). O motivo de tudo ser novo, diferente e funcional pode ser devido ao investimento que a empresa fez em pesquisa e desenvolvimento. No Canadá, foi a segunda empresa que mais investiu na área em 2013 (ficando atrás de uma da área aeroespacial e investiu mais do que o dobro da terceira colocada). Bem, bastou uma tarde para esquecer do Android.

O próximo  passo foi efetuar a atualização do sistema operacional. Ele veio com o OS 10.0 e já foram lançadas as versões 10.1 e 10.2.1 (a versão 10.3 está prometida para o final do ano ou início do próximo ano, apesar de ser possível instalar a versão beta). Atualizei para a versão 10.2.1 que permite até instalar e rodar aplicativos do Android mas ainda não testei (só vou testar se realmente precisar). O probleminha com o fechamento da câmera terminou.

Como cada pessoa possui suas necessidades (manias?) específicas, chegou a vez da minha. Costumo bloquear ligações privadas (se não quer mostrar o número também não atendo pois não deve ser importante) e alguns números de “vendedores” que ficam enchendo o saco para que eu compre coisas que não desejo (seguro, plano de saúde, etc.). Fui procurar como fazer e, para minha surpresa, não existe uma opção simples como havia no Android. Existe uma opção de controle parental muito interessante que, entre outras coisas, permite receber ligações e mensagens apenas de pessoas que estão na lista de contatos (seria uma whitelist e nao blacklist), permitir ou não instalar ou remover aplicativos, câmera e vídeo, twitter, facebook, youtube, informações sobre localização, compras, etc.. Mas não é exatamente o que eu quero. Eu não quero bloquear todos que não estão nos contatos mas somente alguns números. Então vamos ver a opção da tela abaixo.

IMG_20141122_003028Vamos ver as opções da tela de bloqueio de chamadas….

IMG_20141122_003043

Também não é o que eu quero. Não desejo bloquear todas as chamadas, apesar de ser interessante em alguns casos. Após algumas buscas na internet descobri que estas eram as opções atualmente. Levemente decepcionado, mas não desanimado. O tico e teco resolveram trabalhar em uma solução alternativa. Se é possível criar um contato de um número que ligou e é possível configurar algumas propriedades dos contatos, vejamos onde poderemos chegar. O primeiro passo é selecionar o número indesejado e criar um novo contato. Basta selecionar o telefone, arrastar para a direita e selecionar Adicionar a contato.

IMG_20141122_003828

IMG_20141122_003904

A criatividade (ou falta dela) fez com que eu colocasse o nome do novo contato de Blacklist.O próximo passo e selecionar a opção Toques e notificações e efetuar as alterações necessárias para as chamadas telefônicas e outras atividades como mensagens de email, de texto, etc.

IMG_20141122_004456

IMG_20141122_004320

Aí é só desativar todos os alertas (ou apenas os audíveis).

IMG_20141122_004423

Na próxima vez, apenas selecione o número e adicione ao contato Blacklist. Não sei quantos números um contato pode ter, mas deve ser o suficientes. Se não for, basta criar um novo contato Blacklist1, por exemplo.